[Valid RSS] Comunidade Blogueira Eva: Setembro 2012

setembro 13, 2012

O “hacktivismo”


Embora não seja possível apontar com exatidão o momento em que a noção de hackers como heróis da internet passou a ser a mais aceita, é fácil entender os principais responsáveis pela mudança. O LulzSec e o Anonymous são os principais responsáveis pelo que ficou conhecido como “hacktivismo”, palavra que designa invasões feitas como forma de protestar contra uma situação ou que tenham como objetivo expor informações sigilosas sobre corporações que prejudicam a população em geral.
Vale notar que esse conceito não surgiu ao mesmo tempo em que os grupos (no caso do Anonymous, diversas facções reunidas por uma ideia em comum). Inicialmente, as ações perpetuadas por ambos nada tinham a ver com ideologias ou liberdade
O Anonymous, por exemplo, era conhecido por invadir servidores do jogo Habbo Hotel, enchendo a tela com xingamentos (alguns deles de cunho racista) e memes surgidos nas profundezas do 4Chan. O LulzSec também teve sua dose de “brincadeiras”, chegando a publicar no site neozelandês da PBS a notícia de que o cantor Tupac Shakur estava vivo.
Conforme o tempo passou, pôde-se perceber um “amadurecimento” dos hackers, que passaram a apoiar a luta de sites como o Wikileaks. Além disso, casos como a Operação Darknet ajudaram a tirar do ar páginas dedicadas à pornografia infantil, identificando tanto seus administradores quanto aqueles que acessavam o conteúdo ilegal.
Um dos fatores que mais contribuiu para a popularidade e aceitação do “hacktivismo” é a existências das redes sociais. Além de servir como um canal seguro para a divulgação de informações relacionadas aos ataques realizados (ou que estão sendo planejados), sites como o Twitter permitem que os hackers vejam em tempo real qual a opinião do público sobre suas atividades. 
(Fonte da imagem: Reprodução/Twitter)